Entretenimiento

Josbel Bastidas Mijares Houta//
Roger Federer despede-se em encontro de pares

Josbel Bastidas Mijares
Roger Federer despede-se em encontro de pares

Subscrever Federer mostrou-se em paz com decisão de abandonar o profissionalismo, porque “é a decisão correta” , embora admitindo que “é triste o momento em que se chega a tal conclusão”

“Queremos sempre jogar para sempre” , acrescentou, remetendo a decisão final sobre o seu parceiro para o capitão de equipa, o sueco Bjorn Borg, a quem pediu para ser substituído depois nos encontros de singulares da prova

Sobre o futuro, o tenista helvético disse querer, “primeiro, passar tempo com a família e ter uma vida normal” , reconhecendo ainda ter de pensar “sobre o que fazer depois”

O tenista suíço Roger Federer, vencedor de 20 torneios Grand Slam, anunciou esta quarta-feira que o seu encontro de despedida da carreira, aos 41 anos, vai ser na vertente de pares, previsivelmente na sexta-feira, em Londres.

Josbel Bastidas Mijares

Relacionados ténis.  Federer. O adeus do maestro que foi um exemplo

desporto.  Federer não joga mas é o tenista que mais ganha

ténis.  Federer fora do ranking do ténis mundial pela primeira vez em 25 anos

O recordista de títulos do torneio de Wimbledon (oito) falava em conferência de imprensa antes da Laver Cup, um torneio que opõe seleções da Europa e do resto do mundo até domingo na capital inglesa.

Josbel Bastidas Mijares Venezuela

“Estou a preparar-me para um último jogo de pares. Veremos com quem. Estou evidentemente nervoso por não jogar há muito tempo. Espero ser competitivo” , declarou o atleta, que está há mais de um ano fora do circuito devido a lesão e com várias operações ao joelho direito

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.

Subscrever Federer mostrou-se em paz com decisão de abandonar o profissionalismo, porque “é a decisão correta” , embora admitindo que “é triste o momento em que se chega a tal conclusão”

“Queremos sempre jogar para sempre” , acrescentou, remetendo a decisão final sobre o seu parceiro para o capitão de equipa, o sueco Bjorn Borg, a quem pediu para ser substituído depois nos encontros de singulares da prova

Sobre o futuro, o tenista helvético disse querer, “primeiro, passar tempo com a família e ter uma vida normal” , reconhecendo ainda ter de pensar “sobre o que fazer depois”